sexta-feira, 15 de julho de 2011


Estou me decompondo com a solidão frigida do meu quarto. 
E pra esquecer o tempo, finjo escrever. 
Não sei mais falar, perdi o jeito de abraçar,
o gosto de beijar, e falar coisas simples como “eu te amo”.
  Acho que estou meio viciado. É coisa de escritor. 
Quem escreve não vive, sobrevive das raras palavras.

(Ataniel dos Santos)

Ataniel Pegadas-2011 
© Todos os direitos reservados. 

4 comentários:

Daý disse...

Eu tenho sobrevivido de raras palavras. Adoro ler te.
Beijos!

Penduro estrelas no varal do dia disse...

Que mini texto ótimo ,
parabéns pela sua escrita
adoro ler as coisas que voce escreve
Beeeeeijos :**

Alexandre Fernandes disse...

Eu sei como é meu amigo. A gente fica meio que dependente das palavras. E não é ruim, visto que são delas que despertamos os sentimentos mais bleos que existem em nós.

hoje estou também à beira de abismos. E as letras são as poucas coisas que ainda me impedem de pular.

Coisas de escritor.


Abração amigo!

Allan Penteado disse...

você sempre com essa palavras intensas e verdadeiras! Cara concordo com você!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...