quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Traição



A traição,
Dói como uma ferida
Que parece não ter cura
Infinda angústia que não tem fim.

Em ti confiei
Todos os meus segredos,
Pensando que eras meu amigo
E soubesse guardá-los
Como um tesouro precioso.
Mas preferiu ser um covarde
E na primeira oportunidade me apunhalou
Quando de costas ainda me encontrava.

Errei, tive minha parcela de culpa,
Somos arriscados a falhar todos os dias.
Perdoe-me por não ser igual a você,
Busquei ser sábio e não a tolice de trair
Quem tanto admirava e apreciava ser amigo
Agora sei que escolheste
Trilhar outro caminho.

Viverei daqui por diante
Da ausência que ficou,
E como tudo tem um preço a ser pago,
 Talvez este tenha sido o meu,
Confiar demais, em quem não merecia.


Pauta para o Bloínquês: 13ª Edição Poemas:
Tema: Traição
(Ataniel dos Santos)
Ataniel Pegadas – 2010
© Todos os direitos reservados

6 comentários:

Italo Stauffenberg disse...

POETA!

SORTE!

Forte abraço!

Kel ♥ disse...

Amei seu poema!
Muito, muito lindo.
Apesar de triste e forte. :D
Por isso mesmo talvez tenha ficado tão lindo, hihi.
Beijo

Vanessa Mendes disse...

é isso ai *-*
concordo com você ... sempre por aqui

Bell Souza disse...

Gostei, mas há falhas. é só o que posso dizer!

osonhodeumaflauta disse...

No fim fica a dúvida: "Devemos confiar nas pessoas ou não?"
Não sei a resposta, mas apesar de tudo: eu confio.
Talvez seja um erro (e algumas vezes é), mas vale a pena.
:D

Torcendo (yn)

Flor de Lótus disse...

Lindo poema,mas tão triste ser traido não importa por quem é sempre deveras doloroso.
Beijos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...