quinta-feira, 1 de abril de 2010

CUSTE O QUE CUSTAR.





Às vezes pensamos em fugir de todos
E deixar tudo para trás
Procurando o caminho mais curto
Para abrandar a dor,
Esquecer o amor que não soube crescer
Da forma que tanto esperava
As lágrimas derramadas pelo canto do quarto,
Serão apenas lembranças
Não deixarei que o passado
Destrua aquilo que levei anos para conseguir
Estarei ali de braços abertos
Para receber sua chegada
Custe o que custar,
Verei a felicidade bater mais uma vez em minha porta.


       

(Ataniel Santos)

Ataniel Pegadas – 2010
© Todos os direitos reservados

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...